Qual o impacto dos pets no orçamento familiar?

Resolveu ter um animalzinho de estimação em casa? Então, realmente, ele pode fazer muita diferença no seu dia a dia, alegrando e mudando toda a dinâmica da casa, ainda mais nesses tempos de pandemia. 

Mas, será que você sabe o custo mensal de um pet? Sabe o quanto isso pode comprometer sua renda? Pois é exatamente isso que veremos nesse artigo.

Em tempos de pandemia, com as pessoas passando mais tempo em casa, a adoção de cães e gatos teve um aumento de 50%.  

Atualmente, o Brasil possui cerca de 140 milhões de pets, que não precisam apenas de amor, carinho e atenção, mas também de cuidados e alimentação, quesitos que devem ser considerados na hora de fazer o orçamento mensal.

Primeiramente, vale ter em mente que o custo médio mensal de um cão pode comprometer até 24% da sua renda. 

De acordo com a  Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), uma família que ganha até dois salários mínimos (cerca de R$ 2.090,00) podem chegar a comprometer cerca de 24,3% da renda com seu animal de estimação.

Afinal, quanto custa ter um pet em casa?

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Pet Brasil (IPB), o gasto mensal médio com um cão é de R$ 338,76 – cachorros pequenos (até 10 kg) custam cerca de R$ 266,18; os de porte médio (de 11 kg a 25 kg), R$ 327,51; e cães grandes (de 26 kg a 45 kg) podem gerar um gasto médio de R$ 422,59 por mês. 

Já gatos, o custo é de R$ 196,56 mensais. 

Por isso, se está pensando em levar para casa um animalzinho, é preciso considerar todos esses fatores.

Para que possa se programar melhor e verificar se um animalzinho vai caber em seu orçamento mensal, confira abaixo quais os gastos básicos e pesquise seus valores médios em sua região. 

Gastos básicos de um  animal de estimação 

1. Alimentação

Primeiramente, vale saber se vai optar por dar ração ou investir numa alimentação natural, hoje em alta e mais em conta. 

É preciso saber que os preços de ração e alimentos variam de acordo com a espécie e porte do animal, mas já sabendo que quanto maior o porte de seu pet, mais irá gastar com alimentação.

Converse com um veterinário para entender qual a dieta indicada para o seu bichinho e quanto ele tende a consumir por mês. Depois, pesquise nos principais pet shops para descobrir qual será o gasto mensal com alimentação (caso não opte pela comida natural).

Já tenha em mente que rações para cachorro, as mais simples, podem custar entre R$ 5 e R$ 10 o quilo, isso fora biscoitos e quitutes. Um pacote de 15 quilos, por exemplo, pode durar pouco mais de um mês, em caso de cachorros de médio porte.

Enquanto a ração para gatos chega a custar a partir de R$ 17,00 o quilo. 

Obs: caso opte por uma alimentação natural, muito defendida por veterinários atualmente, poderá sair mais barata, porém, deverá ser uma dieta especial. 

Em casos que o veterinário recomendar, talvez você precise recorrer a uma ração hipoalergênica, o que implica em um gasto um pouco maior.

2. Higiene

Você mesmo dará o banho em seu pet ou o levará ao pet shop? Se pretende dar você mesmo o banho, então, deverá investir em materiais como cortadores de unha, máquina de tosar, ou seja, vai depender do animalzinho que tiver. 

Mas, se pretende deixar essa parte com profissionais, saiba que um banho e tosa para cachorros de médio porte pode custar de R$40 à R$80, dependendo da região. 

3. Saúde

A média de consultas anuais, de felinos e cães, geralmente é de três por ano. Seja por aplicação de vacinas, uma dor de ouvido, uma visita rotineira, antipulgas e vermífugos, ou, ainda, alguma doença ou acidente inesperado.

Lembrando que algumas vacinas precisam ser aplicadas anualmente e outras, de 6 em 6 meses. 

4. Acessórios

Na lista de gastos os brinquedos, roupinhas, cama e coleira não devem ficar de fora, com valores que dependem da marca escolhida. Quem investir em tapetinhos higiênicos, deve saber que eles custam entre R$ 0,50 e R$ 3 a unidade, e devem ser substituídos uma vez ao dia ou a cada dois dias.

Uma dica mais barata é o bom e velho jornal, de preferência, doado.

Vale saber que os veterinários recomendam esses objetos para os pets poderem gastar energia. Sem falar que brincar estimula o crescimento cognitivo, melhora as habilidades motoras, e ajuda no desenvolvimento de seu animalzinho.

5. Imprevistos

Não deixe de considerar os imprevistos, que podem ir de hotel (por volta de R$ 60), a um cuidador, caso precise se ausentar e não tenha com quem deixar seu amiguinho.

Também, considere problemas inesperados de saúde e incidentes, é sempre bom ter uma reserva para esses casos.

Pronto, agora que já sabe que um animalzinho traz muito alegria, sabe que também significa gastos, por isso, se pensar em ter um pet, seja responsável, garanta que ele tenha uma vida saudável. 

No mais, vale saber que um animal com saúde e higiene adequadas, provavelmente, será mais resistente a doenças, evitando gastos extras com idas ao veterinário e medicamentos.

Leia também

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Confira Também

Deixe seu comentário

Rolar para cima