Por que tantos pais estão investindo na previdência privada para os filhos?

A aposentadoria privada, um nome popular para previdência privada, tem sido muito visada por trabalhadores de todo o país desde a Reforma da Previdência. Uma vez que as condições para a aposentadoria mudaram significativamente, a busca por estabilidade e mais sossego na melhor idade precisou aumentar.

Ainda há bastante dúvida sobre o assunto. Quem pode apostar em previdência privada? Por que vale a pena a longo prazo? Quem já contribuiu com o INSS pode buscar essa segunda fonte de renda para a posteridade? Falaremos sobre esses e outros assuntos a seguir.

Previdência privada: como funciona?

A previdência privada tem dois momentos: a etapa de investimentos (ou de aportes) e a etapa de usufruto. O resgate do dinheiro investido pode ser feito de uma única vez ou em parcelas mensais, assim como acontece na previdência social.

Existem dois tipos de aposentadoria privada: PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

O primeiro é geralmente escolhido por pessoas que preenchem a declaração completa do Imposto de Renda e que têm maior poder aquisitivo, uma vez que se trata de um plano de previdência que permite ao contribuinte que abata até 12% de sua renda anual do IR.

O segundo, por sua vez, é conhecido também como um “seguro de vida”. Ele não pode ser descontado do Imposto de Renda e geralmente é mais interessante para as pessoas que fazem a declaração simplificada do IR.

Na hora de resgatar os valores acumulados durante um período específico, optantes do PGBL pagam IR em cima do valor total acumulado no fundo de previdência privada. Os que escolheram o VGBL, por sua vez, pagam impostos apenas sobre os rendimentos de seus investimentos e não sobre o total acumulado.

Tabela progressiva x tabela regressiva

Além de escolher se prefere o plano PGBL ou o VGBL, o contribuinte deve escolher entre duas tabelas: a progressiva e a regressiva.

A tabela progressiva é mais conhecida, uma vez que também é utilizada na tributação mensal dos salários. Os optantes desse modelo terão cobrança de IR antecipado na fonte com alíquota fixa de 15% caso desejem fazer resgate. A diferença, maior ou menor, deve ser ajustada na declaração de imposto de renda do ano seguinte.

A tabela regressiva, por sua vez, é relativamente recente: ela foi criada em 2005 e tem como objetivo estimular investimentos de longo prazo. Ela funciona da seguinte forma: aportes de até dois anos são tributados em 35%. Com o passar do tempo, eles caem. A partir do décimo ano de aplicação, a taxa chega a 10%.

Caso deseje, o contribuinte pode migrar do regime progressivo para o regressivo, mas deve entender que se trata de uma mudança irreversível, visto que não é permitido partir do regressivo para o progressivo.

Por que os pais têm apostado na previdência privada?

Primeiro, porque se trata de um investimento para o futuro. Como se pode ver, as vantagens são maiores para aqueles que “deixam o dinheiro render”, digamos assim. Se os pais começarem a investir quando as crianças são pequenas, terão um bom montante para investir na educação delas quando forem adultos.

Além disso, investir precocemente no futuro dos filhos gera mais estabilidade para a família, além de criar uma cultura de reconhecimento e responsabilidade financeira.

É indicado aos pais que conversem com os filhos sobre a importância de ter o controle do próprio dinheiro desde cedo, para que possam crescer com uma melhor percepção do mundo e das possibilidades que se abrem quando temos recursos para tal.

Importante mencionar que a previdência privada, ao contrário de outros investimentos de risco, não traz inseguranças financeiras para a família. A chance de que algo dê errado e os pais percam o dinheiro aplicado é irrisória, o que gera mais tranquilidade para lidar com as adversidades.

Ter uma reserva financeira segura é importante também para casos de emergência.

É claro que esperamos que nada aconteça e que seja possível contornar os problemas apresentados sem precisar recorrer ao dinheiro aplicado no fundo de previdência. Caso algo saia do controle, porém, os aportes feitos com regularidade  podem ajudar a família a fechar as contas e a se livrar de dívidas.

Como se pode ver, trata-se de uma atitude que auxilia a todos os envolvidos. Por isso, vale a pena conhecer os planos de previdência privada disponíveis e encaixá-los no orçamento mensal.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Confira Também

Deixe seu comentário

Rolar para cima